28 de setembro de 2013

Socorro

Meu nariz sempre entristece
Quando ela vem de montão
A gripe que sempre aparece
Junto às companheiras então

É um espiro aqui e outro ali
Não consigo nem respirar
Ela vem, olha a rinite ai
E nem posso contestar

Meu rosto inchado já começa
A outra nem preciso dizer
A sinusite me pregou uma peça
E eu sem nada poder fazer

Socorro meu corpo pede-me
Meu nariz diz: Eu imploro
Remédios e chás restam-me
Para ver se eu melhoro

Nenhum comentário:

Postar um comentário